segunda-feira, outubro 19, 2009

breve

por vezes é aquele sorriso que faz a diferença. pelo menos ali consigo. são pequenas amostras, ares respirados em breves suspiros. improviso o que de repente sei de cor. e aquele sorriso faz diferença. a pressão nem sequer magoa. os nós dos dedos mantêm-se fiéis, juntos, temerários. o sorriso começa a valer a pena. de manhã, pela claridade, só aquele momento faz sentido.