quarta-feira, setembro 23, 2009

Meninas(*), deixem-me em paz

Ontem foi uma carta.
Hoje de manhã um e-mail.
Agora mesmo uma sms.

O ginásio do mulherio anda oficialmente a assediar-me.
Ora, eu já disse aqui o que penso sobre a vossa empresa e a experiência que me fez dissuadir de qualquer regresso!!! Aliás, disse-vos igualmente por telefone. Disse-vos das TRÊS vezes que me ligaram após aquela sessão infernal.
"O que podemos fazer para que você volte?" Assim começava a cartinha que me chegou ontem às mãos. Hmmmm, epá, assim de repente, deixa cá ver....hmmmm... NADA.
Não quero voltar, não gostei da experiência, muito menos das instalações, já para não falar do vosso conceito de ginásio.
Mas isso não chega, não é?
Vocês não me vão ouvir, pois não?
Vou ter de ser mazinha, não é?
Mas vocês não me vão ligar nenhuma, pois não?
E eu vou continuar a receber mais cartas, e-mails e sms, não é?

(...)

Está bem. Mas estou indignada!

(*) é assim que as clientes são tratadas neste espaço de vitalidade e bem-estar. Supimpa, não é?