quinta-feira, agosto 27, 2009

180 graus. Diz uma voz que só assim se melhora. Balança, tenta rodopiar, mas verás que nem sempre é fácil virar um caminho ao contrário. Nem uns acordes mais acelerados vencem a monotonia de um dia normal. E o que tem a normalidade de errado? O habitual de uns pode ser o perfeito escape para outros. Lembro-me que o sol já queimou mais. Sei que o vento já beijou menos. A liberdade de uns pode ser um autêntico forte para outros. Foge, tenta correr, mas verás que nem sempre é difícil libertar um destino amarrado.

Nem um passeio à beira-mar derrota a vontade de ter um dia extraordinário. E o que tens de extraordinário? O fenómeno de uns pode ser o aborrecimento de outros. Esqueço-me das vezes desiludidas. Desconheço a força da lembrança.


Sou.