domingo, julho 05, 2009

Vivi naquela redacção um ano e dois meses, mais coisa menos coisa. E foi viver, mesmo. Horas e horas e dias e semanas sem parar. Tudo porque sim, porque se acreditava, porque o mísero cheque ao fim do mês não nos fazia desistir. Houve quem acreditasse mais do que eu. E que esteve lá mais horas, mais dias, mais semanas. E essas pessoas foram postas de lado numa sexta-feira qualquer das nossas vidas. Números que ditaram 19 fora. E agora? Agora são novamente números, desta feita para as estatísticas do governo, do IEFP, do raio que os parta a todos. Dispensam quem sua, quem luta, quem batalha diariamente, quem sabe o que faz, como faz, por que faz... quem não um plano B.

Mas os berloques ficam. E os demagogos acinzentados. E os que não dizem 'bom dia' nos corredores também. Esses ficam sempre...esses garantem sempre um plano B.

Para os que me abraçaram no meu último dia, os meus braços estão aqui!