terça-feira, junho 30, 2009

They are, they are, the youth of a nation

Não sei se gosto mais da fulana que admite efectivamente que é uma desgraça e que acha que a primeira-dama é a mulher do D. Duarte ou da betinha que jura que não é burra, que diz saber as respostas, só que não as sabe naquele instante...

domingo, junho 28, 2009

Viver em Campo de Ourique é...

... assistir à esporádica entrada de pombos pela nossa janela da sala.

sábado, junho 27, 2009

Tudo tem uma consequência

Caros,
mesmo que vos digam o contrário, nunca, mas nunca, comam meio pacote de batatas fritas após beberem uma garrafinha de leite com chocolate. A sério, o resultado não é bonito. Como é que eu sei? Acham que eu sou suficientemente parva para comer meio pacote de batatas fritas após beber uma garrafinha de leite com chocolate?! Eu?! Ok, foi mais de meio pacote...

sábado, junho 20, 2009

Beijo

Um beijo em lábios é que se demora
e tremem no abrir-se a dentes línguas
tão penetrantes quanto línguas podem.
Mais beijo é mais. É boca aberta hiante
para de encher-se ao que se mova nela.
É dentes se apertando delicados.
É língua que na boca se agitando
irá de um corpo inteiro descobrir o gosto
e sobretudo o que se oculta em sombras
e nos recantos em cabelos vive.
É beijo tudo o que de lábios seja
quanto de lábios se deseja.
JORGE DE SENA
(Imagem: stadiumlove.tumblr.com)

sábado, junho 13, 2009

sexta-feira, junho 05, 2009

sete vezes mais

Há sete anos que não te desejo os parabéns. Há sete anos, quatro dias antes, vi-te pela última vez. Estavas fraco, diziam os médicos. Eras forte, digo-te eu.
A saudade é tramada. Consegue trazer-nos tantos sorrisos quantas lágrimas choradas no escuro. Mas por ti a saudade sorri em branco. Ficam sempre as coisas boas, não é? Damos ao esquecimento as casmurrices, as coisas que entregamos à idade, e juntamos ao peito pequenas colecções de felicidade. Vejo-te em fotos e lá estás tu, a sorrir. Vejo-me no reflexo dessas imagens a devolver-te a alegria que sentias quando me vias.
Nunca verás rugas no meu rosto. Mas as tuas ainda conheço de cor.
E as brincadeiras que fazias com as tuas mãos junto às minhas, farei em mãos mais pequenas, um dia.
Sete anos depois ainda magoa saber que não te posso puxar os cabelos. Uma brincadeira parva, mas que tu gostavas. Sete anos depois ainda tenho um perfume teu guardado. Para matar saudades de vez em quando. E de quando em vez renasces em mim.
Há sete anos que não te desejo os parabéns. Mas hoje é dia disso.
Por isso, parabéns, 'vô Bessa.

quarta-feira, junho 03, 2009

Não me dou à despedida



Manel Cruz, Nunca Parto Inteiramente

segunda-feira, junho 01, 2009

O natural é bom, mas caro

Pessoas,

Se forem à esplanada da Mexicana, ali à Praça de Londres, tenham juízo e não peçam uma rodela de limão na vossa aguinha com gás. Ora, se o preço de uma Pedras Salgadas custa 1 euro, uma Pedras Salgadas com uma rodelita mínima de limão no copo custa 1,50 euros.

“Para a próxima vez, peça uma Pedras Salgadas com sabor a limão”, disse o empregado de mesa.

"Tá bem. Já agora, depois traga-me uma Coca-Cola com sabor a gelo, se faz favor! Ou um cafezinho com sabor a açúcar, se não se importa…”