terça-feira, setembro 30, 2008

Danças


Voámos dali porque aqui não encontrámos poiso. Nem abrigo, nem uma linda janela virada para o mar. Mas uns braços meus bateram de encontro aos teus numa noite. Naquela tarde, porém, o tempo era mais nosso. Hoje decidi fazer com as horas aquilo que elas me permitem fazer quando sou mais eu. E, rodopiando numa dança errática e deliciosa, prometo não ficar por aqui. Vens comigo mais uma vez. E mais uma vez, voamos.