quinta-feira, junho 19, 2008

Só eu sei porque fico em casa

Há três anos que não vejo um jogo de futebol. Os 90 minutos, entenda-se. Deixei de ter paciência, interesse, enfim, deixei de gostar de estar com atenção a uma bola a rolar na relva.
Já afirmo, há três anos, que não vejo um jogo de bola há três anos e não é que, há três anos, ninguém acredita em mim?! Aliás, a expressão facial dos meus interlocutores alterna, geralmente, entre uma espécie de AVC com uma crise de obstipação. A cara transfigura-se e da boca sai, sem excepções, um "tuuuuuuu?" muito incrédulo. "Sim...há três anos", respondo, qual viciada em recuperação. "'Taaaaaá beeeeem", respondem-me, sem excepção, com aquele desdém de quem não confia na recuperação de um viciado. E depois lá tenho de explicar toda uma tese - pois que tenho uma tese que explica cientificamente a minha mudança de "epá, não posso ir ao enterro da minha tia-avó porque o Sporting joga em casa" para "o Sporting jogou ontem?" - e nem sempre me apetece explicar essa tese, repito, científica.
E agora também não me apetece explicá-la, sinceramente. Fica para outras núpcias. Por agora, serve o desabafo para explicar por que não vi um único jogo da selecção de Scolari neste Europeu - "perderam, não foi?" - e dizer a todos aqueles que ainda se metem comigo para falar de bola...epá, não insistam!