segunda-feira, fevereiro 04, 2008

Agora

É pedir um pouco mais. Uma espera quase idílica de um momento que antecede a realidade que ainda se desconhece. De todas as vezes, nasce a esperança. Não. Nasce a vontade, o desejo de viver mais e mais. E um pouco mais ainda. A troca de sentidos existe. Pondera-se o significado de todas as letras, mas isso agora não preenche, deixa-te disso.
Agora é uma ideia maior.
Agora é tudo.
Agora é borbulhar o estômago contigo, pode ser?
Agora é pegar em páginas e virá-las ao acaso, como será caminhar em tua direcção.
Ocasionalmente penso. Por agora, espero.