domingo, janeiro 06, 2008

Encontro onírico

Curiosa luz esta, pensou ela. E continuou. Dobrou mais uma esquina e teimou em olhar para trás, quebrando a promessa feita na noite anterior. Levantou a saia que lambia o chão molhado e apressou o passo. Em frente dela estava a vergonha de uma cruel verdade desenhada num rosto capaz de ser cuspido sucessivamente. Mas beijou-o e encostou o seu cabelo àquele magro ombro. As palavras não saíram da mente nem da mentirosa boca daquela vez. Deu-se à evidência de uma despedida. Descolou-se daquele corpo e abraçou uma nova semana. Apertou bem o casaco, passou as mãos pela cara gélida a cheirar a sal e desapareceu. A luz engoliu-a, pensou ele. Mas amanhã, ela viverá novamente.