sábado, agosto 11, 2007

Sei onde moras

Desilusão, onde moras tu? Perto de mim, bem sei, pois ainda ontem te vi. Insistes em aparecer de vez em quando, sem seres convidada. Agradeço que da próxima vez me avises da tua chegada. Por exemplo, quando eu disser novamente a alguém que seria a última pessoa do mundo a desiludir-me, faz com que eu morda a língua. Gostava que isso tivesse acontecido quando aquela minha suposta amiga sorriu e agradeceu o meu elogio. Que eu tivesse mordido a língua e que a acidez metálica do meu sangue chegasse até aos ouvidos dela, para que ela me oiça de longe. Eu continuo aqui. Mas ela já não me desilude mais.