sexta-feira, abril 13, 2007

Provas do tempo

Daqui do sítio mágico negligenciado por aqueles olhos, vejo uma estrela de algodão doce, carregada de noites esperançosas e brilhantes e capazes de me fazer correr até ao lado interior dos meus desejos. Aproximo a boca sedenta daquele poço de memórias e por lá fico, a deliciar-me com um doce, que, por ser tão prolongado, azedou. Provei agora os lábios. Quero mais.