terça-feira, fevereiro 13, 2007

Catarina, a grande

Conheci-te hoje como há dois anos.
Grande sorriso, olhos maiores ainda e dos teus cabelos negros poder-se-ia cantar um fado. És genuína e quando te contei o meu dia, tu brilhaste pela minha felicidade. Foste um acaso no meu caminho e em ti partilhei horas e cafés e até uma lágrima naquele dia menos bom, lembras-te?
Onde andas tu agora, que há minutos te reencontrei, meio perdida em sonhos de menina, meio preocupada com realidades de mulher.
Se conheço alguém verdadeiro, és tu, Catarina. E pelo abraço na despedida de hoje, sei que a promessa de um reencontro não ficou perdida no vento.
Se conheço alguém doce, és tu, Catarina. E pelo bem que me desejas, sei que mereces mais ainda.
Conheci-te hoje como há dois anos.