sexta-feira, janeiro 12, 2007

Public Announcement

Todos temos padrões nas nossas vidas.
O meu é: fechar o sorriso durante, vá lá, sete minutos e ter logo de seguida 18 perguntas que assemelham a isto: «o que é que tens?», «estás chateada?», «o que se passa contigo hoje?». Ou então, pior, 12 afirmações mais ou menos como estas: «estás chateada», «tu não estás bem hoje», «estás estranha» ou, pior ainda, «amuada». Bem sei que o meu estado de espírito em 90% das ocasiões está lá em cima, com muitas piadas e gargalhadas à mistura. Mas eu sou...como é que aquilo se chama...ah! Humana! Portanto, também tenho o direito e o dever, por que não, de ficar menos satisfeita com a vida, mesmo que seja por uns míseros minutos e por uma qualquer mísera questão.
É bom saber que há quem se preocupa comigo, obviamente.
É óptimo acreditar que estas perguntas e até as afirmações revelam carinho e algum esforço para que eu me sinta melhor. Mas, "newsflash everyone", não resulta. Aliás, faz precisamente o contrário! A constante repetição e o tentar «arrancar» de uma confissão da minha parte faz com que eu fique ainda mais chateada! E tudo isto tem uma explicação. Para alguém que busca incessantemente a perfeição em tudo (como é o meu caso, caso ainda não tenham reparado!) não é agradável ter alguém a lembrar-nos constantemente da nossa não-perfeição.
O vosso dedo na minha ferida não estanca a hemorragia.
Deixem-me ter os meus sete minutos de «amuo» - or whatever you call it - por semana, a sério.
Isto já passa...