sexta-feira, dezembro 22, 2006

How quick the sun can drop away?

Cabeça que anda à roda também pensa. Rodopia-se um pouco, mas, qual circunferência exacta, volta-se sempre ao mesmo sítio, ali para os lados do coração. Enquanto se anda nestas meias-voltas vai-se saltitanto entre a razão e aquilo que pesa do lado esquerdo, sem grandes certezas, sem nada de novo a ponderar. Mas nem é importante. Há um fechar de olhos e a primeira imagem da manhã conta sempre. A última da noite também.
Assim se passa os dias, com o estômago às voltas e a cabeça a dizer que não. A cabeça e as vozes secundárias. Ninguém confia nas probabilidades.
Vamos apostar?