sexta-feira, dezembro 15, 2006

Direita ou esquerda?

Marmoriada memória que gelas em tão pouco tempo. Dás(-te) por ti e aos dias que iam ser - já foram e afundados estão para o mundo. O lado esquerdo tem destas coisas - habitua-se à lengalenga dos dias sem nada dizer. O medo do ensurdecimento, a agonia de uma dor aguda nuns ouvidos pouco treinados à rejeição, talvez.
Mas por certo que o arregaçar das mangas doeu hoje. O lápis de cor veio parar às mãos e começou a pintar e a rodopiar sobre o papel gasto. Se ele não parar, as cores poderão inundar todas as folhas do caderno e por agora não me apetece o colorido.
As palavras do ingrato saem sem saber sequer se são saudáveis. O lado direito tem destas coisas. A campainha da razão tocou agora, já venho.