quinta-feira, novembro 23, 2006

O velho do 74

Hoje encontrei de novo aquele velho no autocarro, aquele que diz volta e meia "Deus morreu". É engraçado aquele velho. As ideias fogem-lhe da cabeça tão depressa que a censura da sua boca apodrecida as deixa passar, lentamente. E é devagar que ele se movimenta. Com pequenos gestos, assume uma postura meio curvada, mas segura de si. As vizinhas perguntam-lhe meia volta pela sua saúde e ele pede, pela saúde delas, que o deixem em paz. O velho só quer entrar no autocarro, agarrar-se com a pouca força que tem e seguir viagem. Para ele, "Deus morreu".
E trocámos um sorriso.