sexta-feira, junho 02, 2006

Novamente

Pé ante pé molhado perante a areia que não tinha fim, Rita alcançou o estado de pureza original, seguida pelo pecado que a levou até ali. Tinha marcado aquele encontro há meses. Porém, apesar da rápida batida do coração, os minutos não aceleravam.
À noite, o cheiro da maresia ganha contornos de um abraço e ali se deram um ao outro. Lentamente, para não acordar más lembranças.
E cada capricho fez com que a chuva se mantivesse intacta, por entre as nuvens escuras, mas iluminadas por pedidos de mais um encontro.
Mas João não respondeu. Manteve-se calado pelo olhar, como amordaçado pela vontade de não errar, outra vez. Ela deu-lhe a mão, ele dançou sobre os seus braços e balbuciou um beijo. Despido de vaidade, João chorou.
E ela, como uma ave de volta ao ninho, lacrimejou um «bem-vindo» totalmente entregue aos dois.
Só aos dois.