terça-feira, maio 02, 2006

Lugares

Dei lugar à tua sombra*

A transferência de ideias transformou-se agora em fluidos repetidos de carícias programadas. Lentamente, a areia beijou os pés já lavados e o atrevimento caiu à beira da água.

Nem sempre pensei assim. Tudo agora termina com um ponto de exclamação, porque há mais surpresa, porque a descoberta é maior.
E assim a novidade nasceu e a verdade é que já ficou.
Ter-se-á que lhe dar um novo espaço ou modificar os rótulos escritos à mão, com uma caneta velha de cor verde-escuro.
Escreve-se repetidamente e ninguém percebe.

*quando passaste agora por mim...